Convidamos você para duas reflexões. A primeira é: o que é criatividade para você? E na segunda, pedimos para voltar alguns anos da sua vida, quando você tinha entre 0 a 6 anos. Agora, tente lembrar de todos os reinos que você criou, planetas que visitou e personagens você inventou. Foram muitos, não? E tudo isso tem a ver com o assunto de hoje do blog: a capacidade criativa do seu filho.

 

          Esta característica faz parte do ser humano, podendo ser nata ou adquirida, e está ao alcance de todos (e não para apenas alguns abençoados, como a maioria das pessoas costumam acreditar). A professora de psicologia e pesquisadora de criatividade Beth Hennesseu, da Wellesley College (Massachusetts, EUA), explica de maneira muito interessante esse termo.

 

 

 

“Sempre recomendo que as pessoas pensem sobre algo que precisa ser resolvido como um labirinto. Há uma entrada para ele, mas muitos caminhos diferentes para a solução. Somente as pessoas que estão dispostas a ‘brincar’ e arriscar bater em um beco sem saída, em vez de tomar o caminho direto e seguro, provavelmente chegarão a uma verdadeira solução criativa”

 

 

 

          E é justamente essa disposição de brincar, arriscar, essa espontaneidade e liberdade para ser e agir sem medo que torna a criatividade algo tão intrínseco nas crianças de 0 a 6 anos. Por isso é importante estimular a criatividade das crianças, porque, no futuro, usamos toda esta capacidade criativa para resolver problemas e lidar com adversidades do dia a dia.

 


 

          O estudo Buenos Días Creatividad, realizado pela Fundação Botín, da Espanha, mostrou que uma educação rica em artes na infância pode aumentar em 17,6% as chances de uma criança ingressar no ensino superior e conseguir um bom emprego. Além disso, a pesquisa mostrou que o envolvimento com atividades criativas também aumenta em 15,4% a probabilidade de se engajarem em trabalhos voluntários, eleva em 8,6% as chances de criarem amizades mais sólidas ao longo da vida e aumenta em 20% o interesse dos jovens em votar.

 

 

           O seu filho está emocionalmente saudável? Clique aqui e descubra!

 

 

          Agora, você deve estar se perguntando: o que acontece com a nossa capacidade criativa quando crescemos? Por que sentimos que somos menos criativos depois de adultos? A resposta é simples: o ambiente em que vivemos está lotado de ceifadores da imaginação. Por isso que um ambiente onde o educador consegue estar perto de cada criança, olhar com carinho e atenção e ouvir as histórias incríveis que os pequenos têm para contar, ao mesmo tempo que valoriza tudo isso, é tão importante.

 

 

 

São essas pequenas atitudes que resultarão em adultos que sabem lidar com suas emoções, com autoestima e segurança para encarar a vida com inteligência emocional.

 

 

 

          Que tal parar um momento e ler um pouco mais sobre os ceifadores de imaginação? Assim, é possível descobrir quais atitudes podem estar podando a criatividade do seu filho. Afinal, sem perceber, você pode estar cometendo alguns desses erros!

 

 

          Clique aqui e baixe o nosso e-book Ceifadores de imaginação: Será que você é um deles?

 

          Não deixe de conferir, também, os “5 Erros que você pode estar cometendo na educação do seu filho”.

 

 

          Fontes: Aline Paz Veloso de Souza, Revista Crescer e Porvir